Somos um país machista e sexista no qual a mulher ainda é vista como objeto, como posse, como brinquedo sexual.
Uma coisa é acreditar que uma pessoa – seja homem ou mulher, devam se vestir de acordo com a ocasião, situação e local e que a escolha de roupas influencia a imagem que passamos.
Outra muito diferente, é, num país que faz um calor dos infernos os homens acreditarem que uma mulher com pouca roupa quer ou merece ser estuprada.

REPÚBLICA BANANA PEOPLE

Nana Queiroz escreveu no corpo o lema da campanha que começou com esta fotografia.

Um estudo brasileiro do Instituto de Pesquisa Económica Aplicada concluiu que a maioria dos brasileiros considera que mulheres com pouca roupa merecem ser alvo de abusos.  ‘Eu não mereço ser estuprada’ é o nome de uma campanha lançada por uma jornalista brasileira, Nana Queiroz, depois serem conhecidos os resultados de um estudo levado a cabo pelo Instituto de Pesquisa Económica Aplicada (IPEA).

A campanha pede o fim da violência sexual. O estudo do IPEA revela que 65,1% dos brasileiros concordam, total ou parcialmente, que “mulheres que usam roupas que mostram o corpo merecem ser atacadas”. Já 58,5% dos inquiridos julgam ainda que se as mulheres se “soubessem comportar haveria menos estupros”. Por outro lado, 3800 pessoas, espalhadas por todo o Brasil, foram ouvidas pelo coordenador da pesquisa Daniel Cerqueira que explica, “a sociedade brasileira está impregnada…

Ver o post original 338 mais palavras

Anúncios