Estou pagando para ver o que vai acontecer na abertura desta copa. De um lado temos a promessa repressiva de Dilma e do outro a verdade sobre o nosso povo ser manipulável pelas mídias. Quantas pessoas vão trocar a camisa amarelo canário pelo direto a saúde, segurança, educação e o fim da corrupção?
Eu sou a favor de ver as pessoas nas ruas e não nos estádios, sendo realista, não é a promessa de repressão que tira o povo das ruas, mas o condicionamento que é feito desde que nascemos para adorar os jogadores como se fossem Deuses.
Em qualquer outro país, passando pelo que nós passamos, com o povo nas ruas, gritos de mudança, a própria seleção se recusaria a jogar. Aqui nossos “heróis” estão se lixando para o próprio país. Eles só querem saber de grandes salários, belas festas, modelos peitudas e bundudas. Quantos deles voltaram ao local que nasceram para empreender qualquer iniciativa contra a pobreza? Quantos sequer se preocupam com parentes ainda morando em favelas? Quantos pelo menos ainda votam? Os que trabalham fora do país obviamente justificam seu voto. Em os que trabalham aqui mesmo, em quem votaram na ultima eleição? Por que?
Nossos jogadores são tão manipulados quanto nós, poucos deles com o dinheiro que ganharam decidiram investir em estudar, afinal carrão e festão que deixam bem na fita.
O único caso para o qual eu tiro o chapéu chama-se Romário. Foi irresponsável e inconsequente como tantos outros antes e depois dele, mas desde o nascimento da filha com síndrome de down o homem amadureceu em todos os sentidos e se tornou uma dessas raridades que não pensa só em si mesmo tendo feito coisas uteis, apresentando propostas e criticas construtivas para a sociedade.

REPÚBLICA BANANA PEOPLE

Uma mulher em frente a uma bola de futebol e 190 milhões de pessoas em suspenso para ver o que vai fazer. A metáfora traduz a angústia de um país pendurado pela decisão de Dilma Roussef: manda bater nos manifestantes que todos os dias invadem as ruas ou controla a força de uma das polícias mais violentas do mundo?

Contrastes. Quando o Brasil conquistou o tri, Dilma estava presa. Agora que pode ser hexa, Dilma manda prender
Contrastes. Quando o Brasil conquistou o tri, Dilma estava presa. Agora que pode ser hexa, Dilma manda prender / Reuters

 E, tomada a decisão, qual a consequência nas eleições Presidenciais? Em jogo, a partir da próxima semana, a escolha do próximo chefe de Estado do Brasil. Há exatamente um ano ninguém tinha dúvidas: Dilma Roussef seria reconduzida na presidência do Brasil. Mas, em junho de 2013, o povo desceu à rua e gritou por melhor educação, saúde e transportes. No dia 13, mais de 200 pessoas foram presas e, ao longo daquele…

Ver o post original 28 mais palavras

Anúncios