Crise de emprego na indústria preocupa economistas

 

No mesmo dia em que o ministro Guido Mantega e a presidente Dilma Rousseff decidiram baixar o “pacote” de medidas estimuladoras da indústria, a Fiesp anunciava que o setor demitiu 12,5 mil trabalhadores em maio.

O economista Gustavo Loyola, sócio-diretor da Tendências Consultoria, opinou que o “efeito prático (das medidas) é bem pequeno, ou quase nulo”, até porque algumas das medidas anunciadas foram apenas prorrogações de programas já em funcionamento.

Um outro economista, Flávio Serrano, do Banco de Investimentos Espírito Santo, também opinou que “não me parece algo novo, que venha a produzir impactos importantes na economia. Não critico a medida em si, mas não é isso que vai salvar a indústria”.

Gente, sejamos lógicos, um país que não aposta de verdade no mercado interno, que se afoga em impostos quem em mais de 70% de sua totalidade financiam caixa 2, mensalões e mensalinhos, propinas e enriquecimento ilícito dos nossos políticos o que é preciso para desafogar a economia é principalmente redução de impostos e investimento no mercado interno. O Brasileiro não compra porque não tem dinheiro, e quando tem dinheiro compra o que é importado porque tem qualidade superior, mesmo que sua matéria prima tenha sido produzida aqui.

Anúncios