Como o calor afeta a sua vida

Quem mora em Goiânia e Aparecida de Goiânia sabe que estamos tendo problemas com o calor que aumenta a cada ano enquanto as chuvas diminuem. Quem tem a minha idade (balzaquianos em geral ) vai lembrar de períodos frios aqui na capital e entorno, épocas do ano entre junho e meados de julho e entre fevereiro e fins de abril que usávamos agasalhos relativamente pesados, que tremíamos de frio as seis horas a manhã no caminho da escola e que o sol só dava as caras a pleno vapor lá pelo meio dia quando tirávamos os agasalhos. E mesmo o auge do calor daqueles dias não se comparava com as primeiras semanas deste janeiro que começou literalmente fritando. Nossa cidade grita por jardins nas casas cujos quintais hoje são cimentados ou na cerâmica, chora por árvores das calçadas que hoje são estacionamentos ou pistas de obstáculo para pedestres de tão irregulares e disformes. Se continuar como está a situação de Goiânia e Aparecida de Goiânia só vai piorar ficando mais e mais quente a cada ano consumindo mais energia com ar condicionados e climatizadores, consumindo mais água enquanto os mananciais secam. Tenho vivido a três ano o efeito acumulativo deste calor que só aumenta. Trabalho em uma sala quente que pega o sol da manhã na parede principal, pega o reflexo dos carros estacionados no patio e ainda contem diversos computadores gerando calor que se soma a um alto fluxo de pessoas. Somadas todas estas condições resolvi pesquisar um pouco dos efeitos do calor no corpo humano. primeira informação que encontrei

download (2)As reações químicas desenvolvidas no nosso corpo atingem a sua eficiência máxima numa faixa estreita de temperatura, aproximadamente de 37,5º C  temperatura central. Para manter uma temperatura constante, o corpo precisa de reter o seu calor quando a temperatura ambiente é baixa e de perder calor quando o ambiente se torna quente” (CVP, 1999, p. 79)”. O nosso corpo é um sistema em equilíbrio, e quando o submetemos a estímulos fortes, ele procura adaptar-se se deixamos que ele o faça. Por outro lado, algumas vezes o estímulo é demasiado forte e o corpo não consegue adaptar-se.”

Como sabemos que estamos saindo o aceitável para o nosso corpo para o “perigoso” para a saúde a médio e longo prazo? A melhor maneira e observando alguns sintomas de que nosso corpo não vai bem.  Os sinais e sintomas mais frequentes no esgotamento pelo calor são:

  • forte transpiração,
  • palidez,
  • cãibras musculares,
  • cansaço e fraqueza,
  • dor de cabeça,
  • náuseas (enjoos),
  • vômitos, desmaio,
  • pele fria e úmida,
  • pulso fraco e rápido,
  • respiração rápida e superficial

Quantos destes você listou no seu dia a dia? Se você sente com frequência de 3 ou mais vezes na semana o conjunto de 4 ou mais destes sintomas muito provavelmente está sofrendo de esgotamento pelo calor. No meu trabalho todas nós sofremos de pelo menos 4 destes sintomas 5 vezes por semana. (Razão pela qual aguardamos ansiosamente pela instalação do prometido climatizador já que a rede elétrica não comporta ar condicionado – realidade da educação no estado de Goiás)

Recomendações para prevenir os efeitos do calor no local de trabalho 

  • Aumentar a ingestão de água, ou sucos de fruta natural sem açúcar, mesmo sem ter sede.

  • Evitar bebidas, gaseificadas, com cafeína (é justo no trabalho que tomo café, e agora?), ou ricas em açúcar, porque podem provocar desidratação.

  • Fazer refeições leves e mais frequentes, evitando refeições pesadas e muito condimentadas.

  • Permanecer em ambiente fresco, ou com ar condicionado, para evitar as consequências nefastas do calor que possam gerar doenças crônicas. (faz três anos que espero que isso seja possível no meu departamento)

  • Usar roupa larga e solta, de preferência em algodão e com cores claras.

  • Evitar atividades que exijam esforço físico.

Estes cuidados ajudam a evitar os chamados golpes de calor

Golpes de calor ocorrem quando o corpo não consegue controlar a sua própria temperatura. Os mecanismos da transpiração falham e a temperatura corporal sobe rapidamente, podendo atingir os 39ºC em 10 a 15 minutos. Essa situação pode causar a morte ou uma deficiência crônica de alguns aparelhos e sistemas se não for prestado tratamento atempado. Os sinais e sintomas mais frequentes são: pele vermelha, quente e seca, sem transpiração/suor, febre alta, pulso rápido e forte, dor de cabeça, tonturas, náuseas (enjoos), confusão mental e perda de consciência. Perante um golpe de calor, deve-se procurar um lugar fresco e baixar a temperatura corporal, por exemplo com banho de água fria ou tépida. Se houver contrações corporais involuntárias, não dar líquidos e procurar ajuda médica urgente .

Em 2013 em agosto sofri alguns efeitos de um golpe de calor tendo ficado com a pele vermelha, pulso forte e tendo começado a perder a consciência em frente a porta da sala e novamente em 2014 em outubro tive tonturas, náuseas, confusão mental e pulso acelerado precisando ser levada para a sala do  CPD (que tem ar condicionado ) por que tinha muita dificuldade para respirar e novamente em 2015 na primeira semana de janeiro tenho tido dores de cabeça constantes, náuseas constantes devido ao calor no local de trabalho, confusão mental a ponto de falar um pouco enrolado e alterações na pulsação. Por isso espero que de fato tenhamos o tal climatizador caso contrário minha permanência torna-se inviável.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s