coisas que acho legais

Se eu fosse para as ruas protestar

Hoje se eu fosse para as ruas com um grito nos lábios ou um cartaz não seria fora Dilma e nem fora Marconi.  Está na hora de exigir o fim dos super salários do alto escalão. O fim dos milhares de auxílios de vereadores,  deputados,  muitos outros políticos de carreira. Não é o salário do servidor público médio que onera as folhas de pagamento estaduais e federais.  São os salários dos peixes grandes somados ao auxílio paletó, auxílio moradia –  lê-se dinheiro para reformar a casa que já tinha ou comprar um palácio ou dar luxo aos filhos e/ou amante- e tantos outros enquanto o professor é obrigado a “lecionar por amor” “virar educador porque pai e mãe não querem educar seus filhos”. “Amor” é lindo, faz parte da profissão, mas não paga as contas, não coloca roupas em nossos corpos ou calçados em nossos pés, “Amor” não enche barriga, não paga plano de saúde, nem transporte para o local de trabalho, nem paga material extra para incrementar as aulas para que não fiquem massantes.

Professor deve amar o que faz para fazer bem feito, mas também precisa receber um salário digno para ter saúde física e mental para fazer seu trabalho. – Entenda a palavra trabalho. O TRABALHO do professor é ensinar, a missão de quem ESCOLHEU ser PAI E MÃE é EDUCAR seus filhos.

image

Publicado do WordPress para Android

Anúncios

Um comentário em “Se eu fosse para as ruas protestar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s