A violência sexual está em todas as sociedades, algumas vezes mascarada pelo verniz de civilidade.
O fato é que homem nenhum tem direito de forçar uma mulher a fazer sexo – seja pela violência física como no caso destas mulheres, seja pela violência psicológica ou pela violência socioeconômica.
É tão complicada a situação de crianças nascidas de um estupro. A criança não tem culpa da violência, mas será marcada por ela.
O que eu penso de um HOMEM QUE COMETE ESTUPRO – Que não é um homem, é um ser doente da alma que não merece se chamado de homem. Um ser humano capaz de ter prazer causando sofrimento a outro é um sociopata, nada menos e deve ser tratado como tal.
Me admira que o estupro em nossas sociedades seja tratado como um crime “menor” que culpabiliza as vítimas quando a maior premissa desse crime é a capacidade de ter prazer ferindo outra pessoa.
Se uma pessoa tem prazer na dor do outro, no sofrimento infligido a outro esta pessoa é um perigo para a sociedade, e infelizmente como as vítimas de estupro quase sempre são mulheres é mais fácil para as sociedades – ocidental, oriental, islâmica, etc varrer a sujeira para baixo do tapete.
Admiro muito mulheres que foram capazes de gerar e ainda amar uma criança que tenha nascido de tal brutalidade e respeito profundamente as crianças que todos os dias sofrem as consequências de um crime que não cometeram.

VIVIMETALIUN

A cidade de Goma, na República Democrática do Congo, foi palco de diversos crimes de violência sexual durante a guerra. A maioria das vítimas dos abusos eram mulheres e crianças, que tiveram suas vidas devastadas. Mas, recentemente, diversas iniciativas locais buscam reintegrar essas pessoas à sociedade e mostrar o quão bonitas e fortes elas são.

Uma dessas iniciativas é a série de fotografias chamada “Look at me I am beautiful” (“Me olhe, eu sou bonita”, em tradução livre) criada pela fotógrafa Patricia Willocq, que retrata de forma fictícia (mas nem tanto) a vida de Esther, uma menina nascida de um estupro. As imagens acompanham todos os passos da vida da menina, desde o seu nascimento até a velhice, em que ela sempre aparece cercada por homens que a apoiam e protegem.

Mas, tão interessante quanto a história contada pelas fotos, é o fato de que todas as…

Ver o post original 43 mais palavras

Anúncios