O governo de Goiás vai gastar R$ 850 mil para contratar o show “Cabaré”, dos sertanejos Leonardo e Eduardo Costa, para a festa de fim de ano em Goiânia. O valor causou polêmica, pois é mais alto que a atração principal da festa na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, que terá apresentação do sambista Zeca Pagodinho, contratado por R$ 800 mil.

O show é de responsabilidade da Goiás Turismo. O dinheiro usado na contratação da atração será do tesouro estadual. Sobre o valor, o governo considerou que ele é mais alto que um show por se tratar de um espetáculo, com uma produção maior e várias apresentações dentro de uma só.

O mais chocante é que isso não piada, não é nenhum “viral da net” é a realidade dura e cruel. O estado alega não ter dinheiro para pagar as contas públicas, mete a faca dos direitos mais básicos dos servidores, corta data base, mas pode esbanjar em um show caríssimo. E pior, esbanjar o dinheiro DOS NOSSOS IMPOSTOS QUE SUBIRAM ABSURDAMENTE EM 2015.

Fala sério! Estamos vendo ser repetida a política do pão e circo de Roma. Não queremos circo, não queremos shows a preço de ouro e diamantes quando o estado carece de tudo e a educação está sendo privatizada sem o menor respeito ao professor.

Gente, não sou contra a ideia das OS. Não acho que seria um plano ruim, se houvesse respeito pelo profissional de educação. Sim tem gente folgada no serviço publico – mas não são os efetivos que batem ponto, nem os professores que fazem de 40 a 60 horas semanais. São os bonitos que recebem benesses, que por qualquer motivo aleatório são dispensados do ponto, são os comissionados que ingressaram por ser acochambrado de “fulano” (claro que no meio da lama tem alguns comissionados que trabalham de verdade, até conheço alguns que são “top de linha”.

O fato é que a corda arrebenta é sempre do lado mais fraco. Os fracos somos nós servidores que recebem salários baixos e que trabalhamos como burros de carga. Os altos cargos e altos salários não sentem os efeitos desta crise. Os que administram o dinheiro que devia ser gasto para o bem estar da população estão mais ocupados com o próprio bem estar. Goiânia não precisa se shows caros. Precisa de verdadeiro incentivo a cultura. Projetos como o canto da primavera custam bem menos se forem bem planejados e geram renda para os municípios, esse show não gera nada. É apenas pão e circo. Eu não aprovo que o dinheiro dos MEUS IMPOSTOS SEJA GASTO ASSIM.

Anúncios