Empresas de TV por assinatura nunca tiveram concorrência a altura e sempre fizeram o que quiseram, agora que o jogo mudou e elas não conseguem acompanhar a inovação trazida pelo Netflix começam a jogar sujo – é a mesma tática que as operadoras de celular vem tentando para boicotar o whatsapp.

Veja o que eles querem:

1- Desejam que a Ancine exija da Netflix o pagamento da Condecine (taxa em torno de R$ 3.000 por cada filme do catalogo);
2- Desejam que o governo obrigue a empresa a ter pelo menos 20% de produção nacional em seu inventário;
3- Defendem que todos os Estados da federação passem a cobrar ICMs das assinaturas (dos clientes);
4- Estudam uma forma de cobrar ou da Netflix ou de assinantes de banda larga uma taxa “extra” quando o cliente usar streaming; a justificativa é que o serviço “consome muita banda larga”.

Claro que é uma tentativa covarde e desesperada para inviabilizar o serviço – honestamente o futuro da tv por assinatura está em mudarem seus padrões para tornarem-se mais parecidas com o Netflix – oferecendo serviços semelhantes em parceria com os serviços atuais ou como uma opção para as pessoas que não tem tempo de ficar escravas de uma programação fechada com dia e hora certa pra ver nossas séries. Quem não quiser investir na mudança que abandone o mercado, porque o consumidor não quer mais o modelo antigo, e nem é tanto pelo preço, mas sim pela liberdade de escolha.

Fonte: TVs por assinatura se unem para prejudicar Netflix

Anúncios