Rebloguei porque achei legal, faz algum tempo – acho que em 2012 ou 13 – fiz um post falando do quanto ficamos escravos das redes sociais, nos esquecemos que elas foram criadas para facilitar a comunicação e promover a interação real entre as pessoas e não para substituir as formas diretas de interação.

Com já naqueles dias me preocupava o espelho de narciso que o Facebook se prestava a ser, não por culpa da rede em si, mas pela nossas inseguranças e necessidade de autoafirmação. Acabamos postando, mesmo sem perceber, as insignificâncias da nossa vida cotidiana e neste afã de ter o que compartilhar reproduzimos falas e ideias que não são nossas enquanto podíamos, longe da tela do pc/celular, estar produzindo nossas próprias ideias.

Ficamos magoados com a demora em uma resposta ou com uma pequena quantidade de “likes” e nos esquecemos que o tempo real não é o tempo virtual. Não precismos ser ovacionados a cada foto do nosso cabelo, comida, biquinho…. a vida não é assim. Não precisamos ser respondidos sempre na hora em que tal pergunta é feita, nem nos magoar se alguém demorou a responder. Na vida real nem tudo tem resposta imediata.

Pessoas saudáveis tem uma vida “fora do celular” fazem coisas – comem, trabalham, interagem e todas estas coisas vem em primeiro lugar, o celular é secundário. A rede social é um aspecto da vida, não toda ela.

Olá novamente! 🙂 Tudo bem? Na madrugada de ontem para hoje, após dois anos ausente, finalmente eu desativei meu Facebook. Em várias postagens, aqui no blog, já expressei vários contras de se usar esta Rede Social. Obviamente, existem seus prós também. Afinal, o costume “normal” atualmente é estar nesta rede. A comunicação, atualmente, é quase […]

https://eltigris.wordpress.com/2016/01/27/bye-bye-facebook/

Anúncios