coisas que acho legais

Nos dias de hoje

Quanto mais eu tento acompanhar as notícias mais me convenço de que estamos no olho de um furacão.

Vivemos tempos de guerras não declaradas, mas que fazem vítimas todos os dias.

Guerra homofóbica – Guerra misógina (feminístico) – Guerra ideológico-partidária (isso soa tão segunda guerra mundial, mas sim). Temos, não uma guerra ideológica, mas muitas guerrilhas com frentes nas diversas igrejas, frente na mídia de massa (tv como globo, record e sbt), nas mídias sociais, nas instituições públicas e privadas. A guerra ideológica nunca foi tão cruel ou tão complexa, sem inimigos claros a vista.

Em tempos de tantas guerras só vejo um caminho para sair da loucura, chama-se AMOR AO PRÓXIMO. Quem ama ao próximo não agride, não se ocupa da sexualidade alheia, não tem medo de perder a masculinidade ao respeitar o espaço de uma mulher porque o gênero sexual importa menos que a pessoa em si.

Em tempos em que o mundo parece ter virado de pernas para o ar e os poderosos se digladiam pelo poder ( urubus na carniça)- nós pobres mortais – (força de trabalho que alimenta a maquina do mundo) ficamos no meio do fogo cruzado recebendo os restos da tecnologia, dos recursos, bens de consumo, etc. Nós somos esmagados pelos interesses deles, mas qual o nosso interesse? Qual o interesse do trabalhador que sai as cinco da manhã e volta nove da noite? Nós subsistimos, sem muito tempo para pensar no resto, aceitamos as ideias que as novelas e o bbb nos passam. Nós achamos que a classe média é um sonho, enquanto a classe média não sabe que é uma ilusão oscilando entre os interesses dos que realmente mandam e podendo  a qualquer momento nos fazer companhia na triste vida de vender o almoço para comprar a janta.

Em tempos complicados como esses, sem amor ao próximo apenas reproduzimos as crueldades e falcatruas dos que nos governam. Sem amor ao próximo a ética fica enviesada, é ele que nos ajuda a perseverar na hora em que somos confrontados entre o fazer o certo e levar vantagem. É esse amor ao semelhante que falta aos que nos governam.

Precisamos começar a buscar como representantes, não os beligerantes que oferecem soluções de contos de fadas para a economia, nesta eleição eles virão, mas candidatos que trabalhem para a comunidade e não para si, que visem o bem estar público e não o bolso cheio. Sei que um candidato assim é uma utopia, mas sem as utopias para servirem de ideais a serem alcançados como saberíamos o que aspirar?

GCNU6672.jpg
nosso caminho é para cima.

Não existe saída rápida do mar de lama. Não existe candidato que vai nos salvar sem grandes reformas morais em todos os seguimentos da politica, economia e sociedade como um todo. Reformas são dolorosas, mechem nos que estão agarrados às facilidades  de um regime oligárquico(disfarçado de democracia)  faz muito tempo. Aliás foi justamente o inicio dessas mudanças que começou nossa guerra civil não declarada. Uma guerra não entre direita e esquerda, mas entre quem sempre teve o poder e quem o deseja.

Nós, o povo, ficamos bem no meio. Massa de manobra, e quando começamos a sair do curral eleitoral, quando começamos a querer pensar por nós mesmos fomos arremessados de volta, por que a verdade é que quando pobre começa a escalar a piramide social, a classe média descobre que não é real, e os oligarcas precisam dela para nos manter sob controle. Precisa dos preconceitos, do estouro de violência contra as minorias (que na verdade são maiorias marginalizadas) para justificar a truculência deles.

Nos dias de hoje, com celulares que filmam, com redes sociais divulgado tudo em tempo real, a violência não é mais um caminho para nós. A violência justifica “a contenção” nos resta seguir o exemplo Mahatma Gandhi com sua revolução pacífica. Comecemos a revolução por nossos lares amando ao nosso semelhante, respeitando o colega de trabalho/escola, sendo a melhor versão de nós mesmos todos os dias e tornando a honestidade uma regra. 

Não estou apoiando o comodismo ou o ativismo de sofá, estou chamando para fazer a diferença todos os dias, seja no trabalho, seja na rua da sua casa, no colégio do filho, na quadra/campo em que joga no fim de semana, no fato de escolher não estacionar em fila dupla porque atrapalha o transito, não estacionar na vaga de deficiente a menos que tenha um no veículo, não buscar um lucro abusivo em detrimento da ética. Ame o próximo como a ti mesmo, e então não fará nada que não gostaria que vos fosse feito.

Anúncios

Um comentário em “Nos dias de hoje

  1. LEWANDOWSKI: É HORA DE PARAR A “RELATIVAÇÃO DO DIREITO” E DE RESPEITAR A CONSTITUIÇÃO
    > https://gustavohorta.wordpress.com/2018/04/10/ggn-lewandowski-e-hora-de-parar-a-relativacao-do-direito-e-de-respeitar-a-constituicao/

    … …O ministro do Supremo Tribunal Federal Ricardo Lewandowski, em artigo publicado na Folha de S. Paulo nesta-terça-feira (10), rebate a onda punitivista de alguns setores do Poder Judiciário e aponta que o desrespeito aos princípios constitucionais geram uma “imprevisibilidade das decisões proferidas por juízes e tribunais” que alimentam “uma visível descrença no Poder Judiciário”. … …

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s